A bibliografia sobre esta arte é bastante escassa, neste caso conhece-se uma citação de 1913 em que Figueiró já é conhecida como centro da realização dos bordados manuais, Figueiró faz fronteira com a Lixa, daí a grande frase dita pelos populares, os famosos Bordados da Lixa.

Esta arte era maioritariamente feita pelas mulheres que trabalhavam nos campos e nas horas livres, como por exemplo horas de grande calor, dedicavam-se "a bordar", e daí saiam verdadeira artes, o verdadeiro artesanato da nossa região. Com o tempo estas mulheres começaram por dedicar se apenas a esta arte, tendo assim desenvolvido vários tipos de bordados, de diversas regiões do nosso País. 

Ao longo dos anos, o bordado começou por ter mais qualidade que nos primórdios, no inicio apenas as "grandes familias" tinham a possibildade de comprar estes bordados.

As mulheres bordavam e continuam a bordar em papelão, tradicionalmente feito por sacos de farinha ou por jornais com dimensões de 20 cm por uns 30 cm. É nesta "almofada" que a bordadeira prega o serviço para assim conseguir bordado, ou seja, cose o tecido onde ja está previamente riscado (desenhado), normalmente as bordadeiras bordam em cima o colo, a sua grande maioria, sendo também possível colocar em cima de uma mesa, podendo assim inciar esta grande arte. 

Hoje em dia, este tipo de artesanato já passou as fronteiras, sendo sempre muito valorizado.